quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Breve Histórico da Profissão de Secretário (Aula 30/07/10 - Disciplina: GRS)



Uma apresentação ampla sobre a origem da profissão e a trajetória da profissão de secretário foi apresentada em sala-de-aula, seguida de dados sobre o perfil profissional e pessoal necessários para a atuação do secretário atualmente.

Abaixo fica uma síntese da história da profissão e perfil profissional:


Breve Histórico da Profissão de Secretário


As primeiras pessoas a exercerem a função de secretário foram os escribas, no século V a.C (mais ou menos 500 anos antes de Cristo), nas civilizações antigas: Egito, Mesopotâmia e Síria.

O escriba era um assessor dos membros da nobreza e a ele competia: a escrita, a contabilidade, classificação dos arquivos, leitura e redação das ordens, bem como a execução das mesmas.

Na Idade Média o papel de secretário era exercido pelos monges, já que a Igreja Católica tinha o domínio de toda e qualquer informação.

Mais tarde, por ocasião da Revolução Comercial e depois com a Revolução Industrial os homens passaram a assumir papel importante nos escritórios de administração pública: surgem os secretários, cuja profissão, em sua origem era exclusivamente masculina.

Na Idade Moderna tem-se uma expressiva ação secretarial com o comércio integrando-se mais tarde à estrutura organizacional das empresas como acontece em nossos dias.

A palavra secretário originou-se do latim: Secretum - lugar retirado, retiro, solidão; Secreta – particular, segredo, mistério; Secretarium - legar retirado, conselho privado.

O cargo de secretário cresceu consideravelmente após a Segunda Guerra Mundial, quando o mercado de trabalho passou a abrir suas portas para a mão-de-obra feminina inicialmente na Europa e nos Estados Unidos da América para suprir a escassez da mão-de-obra masculina que fora direcionada para os campos de batalha. E em 1945 já existiam 20 milhões de pessoas na profissão com estatística crescente.

No Brasil, o desenvolvimento da profissão acompanhou o ambiente empresarial adaptando-se aos paradigmas vigentes.

Nos anos 50: Com o surgimento dos escritórios da Avenida Paulista e com a chegada das multinacionais a secretária passou a executar algumas técnicas como: datilografia, taquigrafia, organização de arquivos, anotações de recados e atendimentos telefônico.

Anos 60: inicia-se o treinamento gerencial, e ter uma secretária passa a ser status iniciando-se assim uma valorização da secretária por parte dos empresários brasileiros.

Em 1969 é criada a Universidade Federal da Bahia o 1º curso de Secretariado Executivo do Brasil.

Na década de 70 a secretária passa a ser membro ativo na gerência.

Nos anos 80 a secretária é assessora. Tem-se a regulamentação da profissão aprovada em 30/09/1985 e a classe ganha força com a criação da FENASSEC – Federação Nacional de Secretários em 1988.

Na década de 90 presenciou-se um dos melhores momentos da profissão de secretária que se caracteriza, como uma figura importante na empresa, pois, com o advento dos recursos tecnológicos, mudou-se a forma de trabalhar no escritório, as organizações passaram a buscar intensamente a qualidade total e a valorização dos clientes. Tais transformações ocorreram principalmente com a introdução da reengenharia que redefiniu o papel dos que secretariam, atribuições atribuindo a este mais autonomia nas execuções das tarefas.

Agora no ano 2000, que o secretário seja empreendedor, assessor, executante, polivalente e que tenha uma visão holística.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva um comentário! Sua opinião é muito importante.
Obrigada e volte sempre.