terça-feira, 28 de setembro de 2010

Profissional multitarefas

Dia da Secretária, dia 30, celebra um novo perfil da profissão, com mais atribuições

SÃO PAULO - Atendente de telefones? Não, uma profissional multitarefas, requentemente bilíngue. Esse é o perfil da secretária do século XXI, que terá o seu dia, o Dia da Secretária, comemorado em 30 de setembro. Mas o que celebrar nessa data? Segundo especialistas e profissionais do setor, a profissional que era vista como a pessoa encarregada dos telefonemas e recados hoje tem um perfil diferenciado e tem possibilidades de crescimento profissional se investir em sua formação.

"A carreira continua valorizada nas empresas. O profissional realiza tarefas básicas, como cuidar da agenda do chefe, por exemplo, mas, por estar integrado num grupo maior, também ajuda na gestão da empresa e tem uma função maior de assessoramento", explica Denise Zaninelli, professora do curso de secretariado executivo da Universidade São Judas Tadeu.

"O crescimento na carreira está ligado diretamente à busca por qualificação e à identificação da pessoa com a carreira. O caminho natural de crescimento na carreira é iniciar na categoria júnior e ir galgando oportunidades até chegar ao cargo de secretária da presidência", explica Isabel Cristina Baptista, presidente
do Sindicato das Secretárias do Estado de São Paulo (Sinsesp). De acordo com pesquisas feitas pelo sindicato com universidades, todas as secretárias saem empregadas ou, pelo menos, conseguem fazer estágio durante e após a conclusão do curso. "Os salários partem de R$ 1.200 e podem chegar a R$ 11 mil, no caso de secretárias executivas bi ou trilíngues."

Para atuar nessa área, explica Vanessa Novais, gerente de planejamento de carreira da Ricardo Xavier Recursos Humanos, é preciso ter boa comunicação, bom relacionamento interpessoal e saber organizar e usar as informações que chegam a todo momento. "É preciso ter espírito empreendedor e saber trabalhar em equipe", acrescenta ela. A profissional deve gostar, ainda, de estar à disposição para ajudar outras pessoas, ser discreta por estar no cargo de confiança lidando com informações confidencias em grande parte do tempo e ser organizada.

Segundo Denise, a idade não influencia na recolocação profissional." O mercado está aberto a todas as faixas etárias. As profissionais de mais idade que estejam bem preparadas culturalmente têm chance por causa da experiência e as mais jovens conseguem as oportunidades por estarem atualizadas e dispostas a começar uma carreira."

A professora explica que o curso é composto por disciplinas Que contribuem na formação geral da secretária, como técnicas secretariais, negócios, marketing, ética, idiomas, sociologia, psicologia, matemática, entre outras."Após a graduação,o profissional deve continuar estudando para manter sua empregabilidade alta." Segundo ela, ter fluência em um segundo idioma é muito importante. Cursando o último ano do curso superior de Secretariado da São Judas, Cíntia Inácio Felício, de 25 anos, já tem planos para ascender na profissão.

"Gosto muito da área e, assim que terminar a faculdade, quero fazer pós-graduação em Gestão de Pessoas", conta ela, que estuda inglês em escola particular. "Comecei como recepcionista e no dia a dia tinha funções de secretária. Comecei a pegar gosto pela função e decidi estudar o assunto para me tornar uma profissional de fato."

Cilene Pignataro, 44 anos, 26 anos de profissão, também destaca a paixão pela profissão. "Costumo dizer que não escolhi a profissão, mas que ela veio até mim,pois sempre fui direcionada a ajudar chefias e, com isso, encontrei realização pessoal e profissional", diz ela."A secretária precisa ter em mente que seu trabalho é de bastidores e que ela pode não ter o reconhecimento esperado. O mais importante é fazer um trabalho bem feito que vai refletir positivamente na empresa.

[O Estado de São Paulo - segunda-feira, 27 de setembro de 2010 11:34]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva um comentário! Sua opinião é muito importante.
Obrigada e volte sempre.